Últimas notícias da VTM

pessoa com Borderline

5 dúvidas sobre o Transtorno de Personalidade Borderline

Marcado por intensa instabilidade emocional, o Transtorno de Personalidade Borderline não tem cura, mas o tratamento alivia os sintomas

Distúrbio que atinge de 1% a 6% da população mundial, o Transtorno de Personalidade Borderline é caracterizado por alterações frequentes no humor, sentimentos constantes de abandono, impulsividade e relações interpessoais intensas e instáveis.

Geralmente, os indivíduos que sofrem com o problema vivem em um limiar entre a euforia e a depressão: podem amar alguém em um momento, e simplesmente odiá-lo no minuto seguinte. Costumam apresentar, ainda, grande dependência afetiva, respondendo muito mal às frustrações e perdas.

Conheça outras informações importantes sobre o Transtorno de Personalidade Borderline

Sintomas

Raiva intensa e inapropriada, e dificuldades em controlá-la;

Impulsividade em pelo menos duas áreas potencialmente autodestrutivas, como gastos financeiros, sexo, abuso de substâncias, direção irresponsável, compulsão alimentar;

Recorrência de ameaças e gestos suicidas, e de comportamento automutilante;

Relacionamentos instáveis e intensos, caracterizados pela alternância entre extremos de idealização e desvalorização;

Sentimentos crônicos de vazio, além de esforços desesperados para evitar o abandono real ou imaginário.

Transtorno Borderline

O termo borderline foi usado pela primeira vez no final da década de 30. Desde aquela época, dizia-se que os portadores viviam na fronteira entre neurose – quando há conflitos psiquiátricos, mas sem perda da realidade – e psicose – com perda de realidade.

Dependência e compulsão

Hoje, já se sabe que a dependência de álcool ou drogas é frequente em pacientes diagnosticados com Transtorno de Borderline.

Diagnóstico

Caracterizado como um transtorno de personalidade, o distúrbio pode ocorrer por predisposição genética, associada a influências ambientais.

Estudos recentes também sugerem que parte desses pacientes apresenta diferenças em uma área do cérebro conhecida como lobo frontal, responsável pelas funções cognitivas e organização dos pensamentos.

Tratamento

O tratamento é realizado com o uso de estabilizadores de humor e remédios antidepressivos. Os sintomas são aliviados, mas não existe cura para o Transtorno de Persnalidade Borderline.

O acompanhando psicológico, com o objetivo de ajudar o paciente a controlar seus impulsos e emoções negativas. também é fundamental. 

Compartilhe este post:Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Email this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *