Por quê escondemos nossa dor emocional?
Por quê escondemos nossa dor emocional? VTM Neurodiagnóstico: Diagnósticos e Tratamentos em Neurologia e Saúde Mental.

Por quê escondemos nossa dor emocional?

Existem muitas razões diferentes pelas quais podemos nos esforçar para esconder, ou disfarçar, a dor emocional que surge na esteira de crenças negativas sobre nós mesmos, evocadas por uma determinada pessoa ou situação. Mas o que eles têm em comum é que são todos induzidos pelo medo.Talvez o mais importante entre nossas tendências de ocultar nossa fragilidade emocional dos outros seja o medo de que expor isso nos faça parecer fracos para eles – e, de fato, nos faça sentir fracos e impotentes. Presumimos que revelar francamente nossos sentimentos feridos trairia nossa suscetibilidade a eles – e, portanto, nos definimos como “um por baixo” no relacionamento, com tudo o que possa implicar em colocá-los em posição de nos explorar ou tirar vantagem de nós. É como se, ao “exibir” nossa dor, estivéssemos perdendo nosso poder pessoal, cedendo-o a eles para que usassem sobre nós da maneira que considerassem adequada.

Por que isso é mais frequente em homens?

Provavelmente também existem algumas diferenças sexuais aqui. Os homens, por exemplo, são especialmente propensos a evitar divulgar seus sentimentos feridos por medo de que isso comprometa seu senso de masculinidade. E, na verdade, eles podem ter sido ridicularizados quando crianças por choramingar, chorar ou lamentar. Nós trabalhamos com muitos pacientes do sexo masculino que falaram sobre como eles foram rotulados de “maricas”, “fracos” – até (horrores!) – quando, ao crescerem, eles não foram capazes de suprimir seus sentimentos mais suaves e ternos emoções. Nesses casos, torna-se uma questão de orgulho pessoal não deixar que os outros saibam que eles têm dentro de si um “ponto fraco” bastante suscetível às palavras e ações alheias. Para eles, manter o lábio superior rígido, e sob nenhuma circunstância expor seu lado sensível, atesta sua firmeza, “espinha dorsal” – uma força masculina essencial.

#psicologia #psiquiatria #emoções #setembroamarelo #depressão #esperança #neurologia

Deixe uma resposta