Qualidade de vida e ansiedade em idosos

Qualidade de vida e ansiedade em idosos. VTM Neurodiagnóstico: Tratamentos e Diagnósticos em Saúde Mental e Neurologia.

O processo de envelhecimento é dinâmico, gradativo, com mudanças físicas e psicossociais. Tais modificações aumentam a chance de vulnerabilidade a determinados agravos na saúde e, consequentemente, ao surgimento de doenças. Isso, em soma à um ambiente imprevisível que talvez esteja associado com perdas emocionais, cognitivas e físicas podem provocar sentimentos de preocupação, medo, insônia, irritação e transtornos de humor. Esses sentimentos podem estar associados a transtornos que reduzem a qualidade de vida, como o Transtorno de Ansiedade Generalizado.

Para verificar se há tendência para um diagnóstico de TAG, faça o teste clicando no link abaixo e veja a pontuação:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeAlmzbsBm_SAUND_G02LQkYjdwcbbacraY2TTdMPAFnkGLpw/viewform

Diagnóstico e tratamento

Apesar do teste acima orientar sobre o grau de TAG que possa estar presente, somente um médico especializado pode dar diagnóstico sobre esse transtorno. Após isso, pode ser indicado um tipo de tratamento, próprio para cada paciente associado com o processo de envelhecimento. O tratamento para ansiedade deve ser oferecido logo que possível, pode ser feito com farmacoterapia, psicoterapia ou combinação de ambos. Ainda, existem tratamento modernos que estão substituindo o uso de remétidios ou reduzindo as doses. Por exemplo a A estimulação magnética transcraniana repetitiva ou EMTr que é uma técnica não invasiva, de uso diagnóstico e terapêutico, que usa campos magnéticos para estimular pequenas regiões do cérebro por indução eletromagnética através de um gerador, ou “bobina”, colocado próximo da cabeça do paciente. Outras terapias também podem ser realizadas. As estratégias de tratamento para melhora da qualidade de vida necessitam ser combinadas entre médico e paciente, especialmente, quando há comorbidades, comuns no envelhecimento.

#saude#ansiedade#sindromedopanico#depressão#vtmneurodiagnostico#psicologa#psquiatra#neurologista #coronavírus #covid19 #pandemia #quarentena #isolamentosocial #distanciamentosocial

Deixe uma resposta